facebook-logo instagram-logo vimeo-logo issuu-logo phone-button (11) 2337 3015

Recentes

Debates - Fronteiras: lugar do estrangeiro

1º Debate "Psicanalisar a arte, criar a psicanálise": 31 de agosto de 2012 – 20h

com Gustavo Henrique Dionísio e Flávia Junqueira

Visando alargar a interlocução entre as artes visuais e a psicanálise, o encontro entre a artista plástica Flávia Junqueira e o psicanalista Gustavo Henrique Dionisio será realizado no dia 31 de agosto às 20h na Casa Contemporânea. A ideia é promover o debate entre os convidados e o público sobre coincidências e dessemelhanças que envolvem essas duas práticas.

Gustavo Henrique Dionisio é psicanalista, mestre e doutor em Psicologia Social da Arte pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, membro do Espaço Brasileiro de de Estudos Psicanalíticos de São Paulo, Professor do Depto. de Psicologia Clínica da Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho (UNESP- Assis), autor de "O antídoto do mal: crítica de arte e loucura na modernidade brasileira" (Ed. Fiocruz) e "Pede-se abrir os olhos. Psicanálise e reflexão estética hoje" (Ed. Annablume).

Flávia Junqueira é artista visual, atualmente realiza o programa de pós graduação em poéticas visuais da Universidade de São Paulo sob orientação do profº Dr. Mário Celso Ramiro de Andrade. Cursou o Programa PIESP da Escola são Paulo: Coordenação de Adriano Pedrosa, Rodrigo Moura e Marcos Moraes. Graduado e Bacharelado pela Faculdade de Artes Plásticas/Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP-2009. Atuou como assistente de cenografia no Espaço Cenográfico de São Paulo de J.C.Serroni em 2006/2008.

2º Debate "A arte e a psicanálise têm “cura”?": 14 de setembro de 2012 – 20h

com Noemi Moritz Kon e Marcelo Salles

Não é de hoje a polêmica sobre a “cura” em psicanálise. Para aqueles que são da área, a ideia de “curar” ou “ser curado” pela análise é discutível desde Freud e seu texto Análise terminável e interminável. O termo “curador”, que designa aquele que idealiza e organiza uma exposição de arte, está etimologicamente ligado às ideias de cuidar, zelar, tratar. Avizinhar essas duas áreas pode ser uma oportunidade para rediscutir o modo como essas práticas são vistas e conduzidas nesses diferentes segmentos. Para compor esse debate com o público, o curador independente Marcelo Salles e a psicanalista Noemi Moritz Kon se encontrarão no dia 14 de setembro às 20h na Casa Contemporânea.  

Noemi Moritz Kon é psicanalista, membro do Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae, professora curso “Conflito e Sintoma: Clínica Psicanalítica” do mesmo Departamento, Mestre e Doutora pelo Departamento de Psicologia Social do Instituto de Psicologia da USP. Autora de Freud e seu Duplo. Reflexões entre Psicanálise e Arte, S. Paulo, Edusp/Fapesp, 1996, A Viagem: da Literatura à Psicanálise, São Paulo, Companhia das Letras, 2003 e organizadora/apresentadora de 125 contos de Guy de Maupassant, São Paulo, Companhia das Letras, 2009.

Marcelo Salles é curador independente e arquiteto. Desenvolve pesquisa historicista e teoria crítica em artes visuais e arquitetura; Criou e dirige, juntamente com Marcia Gadioli, a Casa Contemporânea, espaço de atelier, exposições e debates (2009). Estudou História da Arte com Rodrigo Naves (2010-2011). Formado em arquitetura e urbanismo pela Universidade Mackenzie (1993).

Coordenação: Alessandra Parente

Alessandra Parente Psicanalista. Além do trabalho clínico, desenvolve o doutorado na Psicologia Social da USP, estabelecendo diálogos entre Artes Visuais e Psicanálise. Também é professora de Psicanálise e autora de artigos que estão na interface da Psicanálise com as Artes. É mestre em Psicologia Clínica (PUC–SP), bacharel em Filosofia (USP) e formada em Psicologia (PUC-SP).

GRÁTIS!

Localização

Rua Capitão Macedo, 370
CEP: 04021-020 | Vila Mariana | São Paulo/SP

Fale Conosco

E-mail: contato@casacontemporanea370.com

Telefone: (11) 2337 3015


Horário de Funcionamento:

De terça a sexta das 14 às 19h.
Sábados das 11 às 17h.