Diagnósticos da Contemporaneidade, com Juliano Garcia Pessanha

Diagnósticos da Contemporaneidade, com Juliano Garcia Pessanha
admin

Cursos

Diagnósticos da Contemporaneidade
com Juliano Garcia Pessanha

Foto: Vitor Bossa | Obra: Estante 3 de Lucimar Bello

Foto: Vitor Bossa | Obra: Estante 3 de Lucimar Bello

Porque é tão difícil ter uma compreensão do tempo em que vivemos? Que ferramentas podemos utilizar para nos ajudar neta tarefa?
O filósofo Juliano Garcia Pessanha nos auxilia a diagnosticar a contemporaneidade através de um pensador pré moderno falando sobre o futuro (Nietzsche), um moderno elaborando o presente (Walter Benjamin) e um filósofo contemporâneo que discorre sobre o passado (Peter Sloterdjik)

São quatro encontros nos dias 17 e 24 de outubro, 07 e 21 de novembro, das 19h às 21h:

Diagnóstico 1 – Nietzsche e o último homem. Discussão sobre a futuridade

Diagnóstico 2 – Benjamin e o diagnóstico do tempo. A partir do texto Experiência e Pobreza)

Diagnóstico 3 – Análise do diagnóstico sloterdjkiano, a partir do texto O que aconteceu no século 20

Diagnóstico 4 – Análise do diagnóstico sloterdjkiano, a partir do texto O que aconteceu no século 20

Investimento: R$ 360,00

Clique aqui e faça sua inscrição ou pelo telefone (11) 2337-3015.

BREVE CURRÍCULO

Juliano Garcia Pessanha é graduado em filosofia pela Universidade de São Paulo (1986), mestre em psicologia clínica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2009) e doutor em Filosofia na Universidade de São Paulo (2017). Autor da trilogia Sabedoria do nunca (1999), Ignorância do sempre (2000) e Certeza do agora (2002), também publicou Instabilidade perpétua (2009), todos reunidos em nova edição sob o título Testemunho transiente (Cosac Naify, 2015), vencedor do Prêmio APCA, Grande Prêmio da Crítica, categoria Literatura. É pesquisador no grupo de pesquisa Filosofia e práticas psicoterápicas da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), liderado por Zeljko Loparic, com certificação do CNPq. São suas áreas de interesse a filosofia contemporânea (Nietzsche, Heidegger e Sloterdijk) e as relações entre filosofia e literatura (Kafka, Musil, Gombrowicz, Blanchot e Cioran). É professor da pós-graduação em Formação de Escritores do Instituto Superior de Educação Vera Cruz. Dirige grupos de estudo de filosofia desde 1998.