Encontros sobre arte, fotografia e coleções, com Guilherme Tosetto

Encontros sobre arte, fotografia e coleções, com Guilherme Tosetto
admin

Cursos

Encontros sobre arte, fotografia e coleções, com Guilherme Tosetto

Os limites entre arte e fotografia são bastante complexos. Desde o surgimento da fotografia, em distintos momentos da história, estes campos de produção já estiveram em posição de antagonismo e proximidade. Nestes encontros serão apresentados trabalhos e autores que contribuíram para o pensamento crítico da fotografia como arte e da arte como fotografia, e a importância destes movimentos para o colecionismo. O curso aborda aspectos teóricos e também propõe uma prática a partir dos conhecimentos adquiridos nas aulas.

Objetivos
Apresentar os momentos em que a fotografia se aproxima do campo da prática artística e conhecer os caminhos que surgem desses encontros ao longo da história. Identificar os usos da fotografia no trabalho de curadoria, preservação e divulgação de coleções, e descobrir seu potencial enquanto instrumento e suporte criativo nas artes visuais.

Público
Artistas, fotógrafos e demais interessados no tema.

Programa
Aula 1 – Relações entre arte, fotografia e colecionismo.
Aula 2 – A fotografia e os movimentos artísticos.
Aula 3 – A noção de arquivo e sobrevivência na contemporaneidade.
Aula 4 – Fotografia como suporte de criação nas artes visuais.

Horários: Quintas-feiras – encontros dias 22/11 | 29/11 | 06/12 | 13/12
Das 19h às 21h (carga horária 8h)

Investimento: R$ 500,00

Clique aqui e faça sua inscrição ou pelo telefone (11) 2337-3015.
______
Guilherme Tosetto é fotógrafo e pesquisador. Mestre em Multimeios pela Unicamp, especialista em Fotografia e graduado em Relações Públicas pela Universidade de Londrina, atualmente é doutorando em Fotografia/Belas-Artes na Universidade de Lisboa e professor no Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Atuou como fotojornalista e editor de imagens em veículos de comunicação. Foi curador das exposições Territórios Íntimos na Galeria 78/80, em Lisboa (2016); Imagens Incendiárias na Galeria da Faculdade de Belas- Artes da Universidade de Lisboa (2015) e 140 caracteres no MAM-SP (2014).