Casa Contemporânea_10 anos e o Livro de Artista

Casa Contemporânea_10 anos e o Livro de Artista
Zwei Arts

Exposições

Casa Contemporânea_10 anos e o Livro de Artista

Prosseguindo as atividades paralelas à mostra Casa Contemporânea_10 anos e o Livro de Artista, receberemos os convidados abaixo para discutir o Livro de Artista, sua circulação e inserção no mercado.

DEBATES
O mercado e o livro de artista – 25/02/2019

Banca Tatuí 

É um espaço no centro de São Paulo que reúne o trabalho de mais de 160 editoras e artistas independentes de todo o Brasil. Aberta no final de 2014, oferece publicações que exploram formatos, acabamentos e temáticas que dificilmente se encontram em pontos de venda convencionais.

Na estrutura interna, módulos de OSB (material derivado da madeira) expõem e armazenam a produção impressa, mas também organizam o espaço, configurando uma área de encontro e permanência para os frequentadores do lugar. Iniciativa da editora Lote 42, a banca também distribui as publicações por e-commerce com entrega a todo o Brasil.

Nos dias de evento, o teto da Banca Tatuí se transforma em um inusitado palco para pocket shows de bandas autorais. Com isso, as festas animadas na calçada tem virado o charme do espaço.

www.bancatatui.com.br

Lovely House
É uma casa de publicações com o coração pulsando pelos criativos. Concentra seus esforços em pesquisar e divulgar trabalhos editoriais sobre arte, fotografia e design, abrindo espaço para os títulos e autores independentes em sua curadoria. A seleção do que é exposto na Lovely House, offline e online, é feita por Luciana Molisani e José Fujocka. O casal, que idealizou e colocou em funcionamento a casa de livros e editora desde agosto de 2018, prioriza a qualidade conceitual, editorial e gráfica, tendo como protagonistas obras contemporâneas. O espaço ainda abriga lançamentos e pequenos encontros com autores ou convidados especiais com a intenção de discutir processos criativos, articular ações culturais e debater a produção de vanguarda.

Sobre Luciana Molisani
Graduada em Artes Visuais pela FAAP-SP. É sócia e diretora criativa na agência Irmãs de Criação. Desde 2003, está envolvida com a organização, edição e direção de arte de várias publicações do mercado editorial.

Sobre José Fujocka
Iniciou sua carreira como fotógrafo e artista visual. Nos últimos 20 anos dedicou-se à pós-produção de imagens publicitárias e artísticas. É cofundador da Fujocka Creative Images.

para visitar: galeria ouro fino << são paulo << rua augusta 2690 lj 329 – 2ºand
para comprar online: www.lovelyhouse.com.br
para falar: [email protected]

ex – Mezanino
As Impressões Mezanino foi uma iniciativa de Renato De Cara, entre 2016 e 2018, ainda dentro da Galeria Mezanino, para estimular a produção e a circulação de peças gráficas e múltiplos de artistas convidados. Com formatos variados entre álbuns e caixas de gravuras, fanzines, fotolivros, serigrafias, objetos e outras variantes, o projeto participou de três edições dentro da SP-Arte além de outras feiras como do IMS, Cavalete e Plana. Os suportes não tradicionais são um chamariz para novos colecionadores ou interessados em peças fora de um padrão mais convencional.

Sobre Renato De Cara
Jornalista, fotógrafo, consultor e curador independente.

Editoras e o livro de artista – 08/03/2019

Edições à margem
Fundada em 2018 por Eder Ribeiro, funciona como extensão de projetos curatoriais relacionados principalmente à fotografia. Através de um modo colaborativo, em que os autores são parte integrantes dos processos de elaboração e produção do livro, a edições à margem funciona como facilitadora e difusora dessa produção.  Próximos lançamentos do selo: O murmúrio da coisas (Denis Santos) e tokforalt (Vitor Bossa).

Sobre Eder Ribeiro
Curador e artista visual brasileiro, baseado em São Paulo, possui mestrado em Arquitetura (Ecole National Superièure d’Architecture Paris Malaquais) e Artes visuais/Fotografia (Université Paris 8). Seus eixos principais de pesquisa são a fotografia vernacular/anônima, e a fotografia contemporânea. Colaborou com as galerias (Le Douches la Galerie, Paris e RocioSantaCruz, Barcelona) e com a Feira de edições ArtsLibris, Barcelona.

Em 2017 criou o projeto Esquina  de pesquisa curatorial ( Fotografia e além- 2017, A ilusão da casa -2018), do qual é curador e produtor. Atualmente se dedica principalmente à edição de fotolivros e livros de artista, prestando assessoria a diferentes artistas, através da edições à margem, casa de edições independente.

www.eder-ribeiro.com

Loreley Books
Editora independente das autopublicações da artista visual Marcia Rosenberger, resultado de sua produção em livros de artista e edições de arte.

Os livros de artista e edições de arte apresentam uma variedade de linguagens e técnicas: desenho, aquarela, fotografia, colagem, assemblage, xilogravura, caligrafia, costura, mostrando a busca incansável da artista pela melhor maneira de traduzir seu conteúdo.

A principal característica da editora é a publicação de pequenas edições, com tiragem limitada, numerada e assinada. A impressão prima pela qualidade, seja em técnicas manuais ou em mídias de jato de tinta, digital ou fine art. A encadernação dos livros é feita manualmente, um a um, pela própria artista, de forma primorosa, agregando a importância da unicidade em cada volume, com o tratamento que uma edição de colecionador merece.

Sobre Marcia Rosenberger
Artista visual, editora e arte-educadora. Desenvolve as linguagens da aquarela, fotomontagem e livro de artista. Em sua poética pessoal investiga as relações entre imagem e forma, perpassando pelas temáticas da memória e do tempo. Formada em Artes Plásticas e Pós-Graduada em Estética e História da Arte / Fatea-SP. Recebeu acompanhamento em Livro de Artista de Luise Weiss e Fabíola Notari. Participa do Núcleo de Livros de Artista na Casa Contemporânea. Participou em 2918 do Laboratório de Artes Visuais na OMA Galeria-SBC. Em 2016 vivenciou em residência artística no projeto Arte @o Centro, na cidade de Torres Vedras, Portugal; onde também orientou oficinas de livro de artista. No mesmo ano lançou o selo editorial independente Loreley Books e participa de eventos e feiras de artes gráficas e publicações independentes.

OLHAVÊ
É um projeto editorial independente com foco em livros sobre fotografia e imagem. As publicações refletem o desejo em divulgar e escoar trabalhos de relevância, que tragam para a fotografia questões relativas à narrativa poética e investigação sobre a linguagem fotográfica.

Fundada e tocada pelo casal Georgia Quintas e Alexandre Belém, a editora Olhavê se especializa em projetos autorais, focados no processo de criação, na edição fotográfica, na reflexão sobre como narrar poeticamente temas, sensações, metáforas, reportagens, ensaios. Edição e montagem da escrita visual.

A principal filosofia da editora é pela excelência do projeto editorial que envolve a produção de um livro. Tamanho, formato e páginas pensadas e elaboradas para que a poética e conceito de cada trabalho autoral torne-se uma montagem, não ideal, mas vigorosa de interpretações e ideias. Os projetos são humanizados, dialogados e concentrados no espírito de experimentar e pensar a fotografia com seus autores.

Sobre Alexandre Belém
Editor de fotografia, jornalista e fotógrafo. Autor do livro Olhavê Entrevista (2012) e sócio-fundador da editora Olhavê. É o criador e editor do site de conteúdo fotográfico Olhavê (olhave.com.br). Em 2012, venceu o Prêmio Abril de Jornalismo na categoria Digitais/Blogs com o blog Sobre Imagens, que editou entre 2010 e 2015. Curador do Ciclo de Ideias do Festival de Fotografia de Tiradentes (2011, 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016), da Mostra SP de Fotografia (2012, 2013, 2014 e 2015) e do Encontro Pensamento e Reflexão na Fotografia, MIS/SP (2012 e 2013). Foi membro da comissão de nomeação do World Press Photo Multimidia Contest (2011) e juiz suplente do POY Latam (2013).

Sobre Georgia Quintas
Doutora em Antropologia pela Universidade de Salamanca (Espanha), com pós-doutorado em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP. Escritora, antropóloga, professora e pesquisadora no campo da teoria, filosofia e crítica da imagem fotográfica. Curadora e editora do selo Olhavê. Autora dos livros Jogos de aparência – Os retratos da aristocracia do açúcar (2016), Inquietações fotográficas – Narrativas poéticas e crítica visual (2014), Abismo da carne (2014), Olhavê Entrevista (2012) e Man Ray e a Imagem da Mulher – A vanguarda do olhar e das técnicas fotográficas (2008).

Com o objetivo de discutir as mais diversas possibilidades de produção e interpretação do Livro de Artista, reunimos para esta mostra 36 artistas que desenvolvem suas pesquisas nessa linguagem. Com ela reforçamos nossa ligação com esse segmento das artes visuais que está presente desde o inicio de nossas atividades.

Simultaneamente, apresentamos a exposição Cruzando Horizontes, do coletivo WYL? (What’s your location?) com livros desenvolvidos por 16 artistas, em pares ou trios sediados no Brasil, Kuwait, Reino Unido, Australia e Estados Unidos. Itinerante, foi inaugurada em Porto Alegre, no Centro Cultural Érico Verissimo e vem, neste momento, para a Casa Contemporânea, juntar-se à nossa mostra, marcando o início das comemorações de 10 anos de atividade deste espaço.

Para a abertura no sábado, 16/02, preparamos uma programação especial com leituras e performance:

Sobre as leituras

Caracol é uma casa que se anda – Lucimar Bello
“Lucimar Bello não é só escritora. Não é só artista plástica. Ela vai sempre para fora de sua casa. Além do jardim. É difícil de enquadrá-la. Autora que precisamos ler tocando. Do princípio ao fim. Com todos os poros. Sonoros. De múltiplas janelas sua sensibilidade. Um dia quero ter um olhar igual ao dela. Ir assim ao coração da linguagem. Feito um caracol que se abre. Não um caracol que se fecha.”

Marcelino Freire, escritor.

RuminânSias – Silvia Nogueira
Neste ano de reXistência e encontros alegres, um capinzal de palavras já começa a ruminar por aí. Silvia Nogueira lê trechos das ruminânSias, lançado em meados de 2018, pela editora Patuá. Nem livro de contos, nem poesia, talvez um híbrido que brinca com gêneros em uma prosa costurada com palavras, sons, imagens e sentidos para ler em alta voz, reinventar a foz e ouvir por aí.

O feito afaga o gesto – Rita Balduino
Composto por sete cadernos, cada um deles voltado a uma determinada dimensão da relação palavra, imagem e experiência, lançado pela editora Patuá em 2018.

“A relação entre palavra e imagem é determinante em todo o livro: é frequente, nos poemas, a ênfase na materialidade gráfica e tipográfica dos textos e diversas vezes imagens são associadas criativamente a palavras e sinais gráficos. É digno de nota o modo como Rita utiliza sinais de pontuação convencionais e não-convencionais para sugerir sentidos que as palavras não alcançam”.

Júlio Mendonça
Coordenador do Centro de Referência
Haroldo de Campos da Casa das Rosas.

O vento que varre a casa – Marcia Matos
Este é o livro objeto de Marcia Matos que trata do tema do suicídio e articula poesia, música, performance e instalações de artes visuais. Um trabalho de intervenção urbana a partir da experiência da memória que problematiza e humaniza os estilhaços desse tabu.

Sobre o experimento

“Assim falou Zaratustra – com Alberto Eloy
Um livro para todos e para ninguém. – Prólogo”. De Friedrich Nietzsche.
Um experimento para todos e para ninguém.
Assim falou Zaratustra ocupa um lugar muito especial e um ponto fora da curva em toda a obra de Nietzsche. Em diálogo profundo, com ácidas paródias, ironias e sarcasmos, com toda a tradição filosófica, religiosa e literária ocidental (e também oriental), principalmente ocidental, Zaratustra condensa, numa linguagem profundamente poética e incisiva, todo o pensamento de Nietzsche. Todos os principais temas de sua filosofia são aí tratados, pensados e sopesados: o eterno retorno, o além-do-homem, o último homem, a vontade de poder, a morte de Deus, os grandes ídolos etc. “Assim falou Zaratustra” é portanto a obra que Nietzsche nos lega como seu maior e mais iluminado presente para a humanidade. E, como presente extremamente desafiador, me dou a ele e com ele me faço e me abro nesse processo, experimento, investigação autoral, saindo de minha solidão habitada para compartilhar tal errância com vocês, companheiros e achegados ao sol de Zaratustra.

Alberto Eloy.