Livros de artista, livros objetos: entre vestígios e apagamentos, com Profª. Drª. Fabiola Notari

Livros de artista, livros objetos: entre vestígios e apagamentos, com Profª. Drª. Fabiola Notari
Zwei Arts

Grupo de Estudos

Livros de artista, livros objetos: entre vestígios e apagamentos
com Profª. Drª. Fabiola Notari

O Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos, como o próprio nome anuncia, propõe diálogos entre o universo das publicações e edições de artista com os conceitos de memória, esquecimento e tempo. Nos encontros quinzenais, busca-se relacionar leituras direcionadas com proposições práticas, onde ambas provocam reflexões coletivas na contemplação juntamente com o desenvolvimento de projetos individuais e ampliação de repertório dos inscritos.

Em 2020, daremos continuidade ao formato proposto em 2019. Os encontros além de sucitarem reflexões e práticas a cerca do livro de artista e livro-objeto, ao final desse ano, será realizada uma exposição. Dessa maneira, além das atividades práticas e teóricas os inscritos terão acompanhamentos específicos para a produção que será exposta.

Em 2013, este grupo fazia parte das atividades da Fundação Ema Klabin com orientação da Profª. Drª. Luise Weiss e assistência da Fabiola Notari e Marília Lourenço. No primeiro semestre de 2014 suas atividades mudaram de endereço, aconteceram no espaço da Associação Jatobá de Artes Visuais (AJA) na Vila Madalena, com nova orientadora, Fabiola Notari. Desde o 2º semestre de 2014 os encontros do grupo de estudos acontecem no ateliê da Casa Contemporânea na Vila Mariana.

Em 2018, em parceria com Marisa Garcia de Souza foi criado o Núcleo de Livros de Artista, o qual abarca desde então o Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos como também outras atividades que envolvem produção, pesquisa e difusão do livro de artista em suas mais diversas formas e conceitos.

Objetivos:
– Desenvolvimento de edições/publicações de artista – livros de artista, livros-objetos e afins –  a partir de proposições teórico-práticas;
– Desenvolvimento de projetos individuais e coletivos;
– Discussão de conceitos e bibliografia;
– Propor e produzir uma exposição ao final de 2020.

Horário: 3ª feira, das 10h30 às 13h30, segundas e quartas semanas de cada mês.

Datas: 18/02, 10/03, 24/03, 14/04, 28/04, 12/05, 26/05, 09/06, 23/06, 07/07,  28/07, 11/08, 25/08, 08/09, 22/09, 13/10, 27/10, 10/11, 21/11 e 01/12.

Cronograma Exposição:
Montagem: de 03/11 a 06/11
Abertura: 07/11
Desmontagem: janeiro/2021

Investimento: R$ 300,00 (por mês)
Obs: exposição inclusa.

Clique aqui e faça sua inscrição ou pelo telefone (11) 2337-3015.


Sobre Fabiola Notari

É artista visual e pesquisadora. Doutora em Literatura e Cultura Russa pelo Departamento de Letras Orientais (DLO/FFLCH/USP), mestre em Poéticas Visuais pela Faculdade Santa Marcelina (FASM/ASM) e bacharel em Artes Visuais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, onde leciona desde 2012. Coordena o Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos na Casa Contemporânea, localizado no bairro de Vila Mariana em São Paulo-SP. Já participou de exposições e mostras artísticas no Brasil e no exterior com sua produção voltada à linguagem gráfica – gravura, desenho, fotografia e livro de artista.
www.fabiolanotari.com


Vitrine expositiva casa de papel 

“Ao longo dos anos vi livros destinados a equilibrar a perna manca de uma mesa; vi livros convertidos em mesa de cabeceira, dispostos em forma de torre encimada por um pano; muitos dicionários aplainaram e prensaram mais objetos do que as oportunidades em que foram abertos, e não poucos livros guardam, dissimulados nas estantes, cartas, dinheiro, segredos. As pessoas também alteram o destino dos livros.” (Carlos María Domínguez. A casa de papel)

A vitrine expositiva casa de papel poderia ser um desses objetos listados e comentados por Carlos María Domíngues na citação acima, no entanto, a diferença estaria na importância que o livro ganharia, teria papel de destaque, tornando-se personagem principal do enredo narrativo.

A vitrine toma emprestado o título do livro – casa de papel – como uma forma afetiva de aproximar o livro ao cotidiano do outro. Aqui os livros narram histórias, possuem capa e miolo, mas transformam os limites dos livros ditos “tradicionais”. O escritor torna-se artista, as páginas ordenadas ganham outra organização, as palavras, que imperam sobre as imagens tornam-se obsoletas ao domínio das imagens, nessa inversão de “poderes” o discurso ganha camadas, as quais possibilitam a expansão do limite da imagem/palavra. Nesse lugar cultiva-se a criatividade e a reflexão crítica da(s) realidade(s).

A vitrine expositiva casa de papel é uma iniciativa do Grupo de Estudos Livros de artista e livros-objetos: entre vestígios e apagamentos como uma estratégia de alcançar possíveis “leitores”, amantes dos livros e apaixonados por arte. O conteúdo das mini mostras serão centradas na intersecção entre literatura e artes visuais, dessa maneira, seja bem vindo ao universo do livro de artista/livro-objeto.

Fabiola Notari
(Fevereiro, 2017)

EXPOSIÇÃO PERMANENTE

CATÁLOGO

Catálogo da Exposição “Narrar histórias, construir memórias: o livro de artista e seu processo”, apresentada na galeria de arte do Clube Athletico Paulistano no período de 1 a 5 de agosto de 2018.

Curadoria: Fabiola Notari

Realização: Grupo de Estudos Livros de artista, livros-objetos: entre vestígios e apagamentos
e homenageados.